Cardiomegalia - A doença do Coração Grande.


A cardiomegalia, popularmente conhecida por doença do coração grande, pode atingir homens e mulheres de todas as idades. Mas, frequentemente, é diagnosticada após os 20 anos de idade, quando o indivíduo apresenta os primeiros sintomas da doença.



Sintomas da Cardiomegalia


Na cardiomegalia o indivíduo apresenta sintomas como falta de ar e fraqueza ao realizar pequenos esforços, como subir 4 degraus de escada. Os desmaios podem ser mais ou menos frequentes dependendo do tipo de ocupação do indivíduo.

Causas da Cardiomegalia

Na cardiomegalia o coração fica grande devido ao seu esforço, que pode ser causado pela pressão alta, devido a doenças coronarianas ou pode estar interligada à doença de chagas.
Com o coração grande, o sangue circula com maior dificuldade, pois o coração não consegue bombear o sangue com a força necessária, o que pode vir a gerar uma insuficiência cardíaca ou até mesmo outras doenças que também afetam o coração.

Diagnóstico da Cardiomegalia

O diagnóstico da cardiomegalia é feito com base na história clínica do indivíduo, com o resultado do raio-x e do eletrocardiograma ECG (Conheça mais sobre o nosso ECG aqui).

Alguns indivíduos nascem com uma pré-disposição para a doença, devido a uma herança genética. Mas somente o médico cardiologista pode garantir isso e indicar a melhor forma de tratamento, que geralmente é feito com medicamentos que regulam as batidas do coração.

Tratamento para Cardiomegalia

O tratamento para a cardiomegalia consiste na toma de medicamentos diuréticos para aliviar a pressão sobre o coração e os remédios para o coração propriamente ditos. Dependendo da gravidade da situação, o médico poderá solicitar o pace maker.

Se não for suficiente, pode-se recorrer à cirurgia para a troca da válvula cardíaca e por último o transplante de coração, se não houver resultados com os tratamentos anteriores.

Cardiomegalia tem cura?

A cardiomegalia é um sinal de que o coração está grande e este sinal não tem cura, mas tudo aquilo que pode estar relacionado às suas causas ou suas consequências podem ser curados.
Quando seu tratamento é feito corretamente o indivíduo poderá ter uma vida normal, somente evitando esforços, pois seu coração não voltará ao tamanho normal.

Entenda um pouco mais o Lúpus, seus principais Sintomas e tratamento.

O Lúpus é uma doença auto imune que afeta vários órgãos e sistemas do corpo. Nela, os anticorpos, que deveriam combater doenças, atacam as próprias células do corpo e isso pode trazer sérias complicações. Mas, apesar disso, quando o indivíduo é devidamente tratado, pode levar uma vida normal.

A doença é mais comum em mulheres, tem forte traço genético e um dos seus sintomas é frequentemente diagnosticado entre os 10 e os 40 anos de idade.

Os sintomas do lúpus incluem:



Alimentos que ajudam quem possui Lúpus:


Os alimentos adequados para quem possui lúpus são os alimentos anti-inflamatórios, como:

  • Salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha, sardinha e truta pois são ricos em ômega 3;
  • Chá verde, alho, aveia, cebola, brócolis, couve-flor e repolho, semente de linhaça, soja, tomate e uva, pois são antioxidantes;
  • Abacate, laranja azeda, limão, tomate, cebola, cenoura, alface, pepino, nabo, couve, germinados, beterraba, lentilha, pois são alimentos alcalinizantes;
  • Além disso, recomenda-se investir nos alimentos biológicos, integrais e beber bastante água todos os dias.


As mulheres portadoras da lúpus podem engravidar, mas, para isso, devem seguir corretamente as recomendações do médico e esperar pelo período de remissão das crises, para então iniciar as tentativas de engravidar. Mesmo assim, ela pode ter mais dificuldade em engravidar do que uma mulher que não seja portadora da doença e o risco de aborto espontâneo é maior para elas. 

Recomenda-se aos pacientes com lúpus não consumir bebidas alcoólicas, não fumar, não expor-se ao sol e não tomar anticoncepcionais orais, pois podem dar início a uma nova crise da doença. A prática de atividade física tem-se mostrado benéfica no período entre crises. Pacientes diagnosticado com Lúpus Eritematoso Sistêmico não podem tomar vacinas que contenham vírus vivo.


Como usar a Redes Sociais para divulgar seu negócio.


Você deve ficar pensando por que eu devo utilizar Facebook, LinkedIn para divulgar minha empresa? A resposta é, por que seus clientes estão lá. Como falamos anteriormente montar um site e fazer a divulgação da sua empresa são partes essenciais para tornar sua empresa visível para seus clientes. Para você ter uma ideia do quanto as redes sociais são importantes, atualmente segundo dados da eMarketer Consultoria de Marketing e Social Media, aproximadamente um terço da população mundial usa as redes sociais no seu dia a dia.

Segundo outra pesquisa, dessa vez feita pela empresa Altimer Group e Wetpaint para uma revista americana, " Investir em redes sociais pode ser o caminho para gerar mais receita e obter melhores resultados". Segundo a Business Week, empresas que investem em redes sociais como meio de divulgação do seu trabalho tem um retorno maior do que empresas que ainda não investem.

Pensando em nisso, separamos algumas redes sociais interessantes para seu negócio e por que investir nelas:

1. Facebook: Primeiramente por que é a rede social mais popular do mundo, cerca de 1,94 bilhões de pessoas usaram o Facebook somente esse ano, segundo levantamento realizado pela própria empresa, um aumento de 17% se comparado ao ano anterior. Outro fator relevante como já mencionamos anteriormente, quanto mais sua empresa estiver conectada, mais fácil é para seus clientes encontrar-la nos buscadores como Google, Bing e Yahoo, ou seja, quando seus clientes realizarem uma pesquisa aparecerá não só seu site como também sua página do Facebook, isso possibilita que seu cliente consiga conhecer todos os serviços oferecidos pela sua clinica/hospital.

2. LinkedIn: O LinkedIn não é só uma rede social voltada para recrutamento e seleção como muitas pessoas pensam, ela também é uma importante ferramenta para mostrar principalmente para outros profissionais os diferenciais da sua empresa, além disso a plataforma permite que empresas criem grupos de discussão que podem contribuir para engajar mais ainda seu público alvo, realizar a divulgação de promoções e serviços, entre outras atividades.

3. Instagram: Hoje muitas empresas utilizam a plataforma de compartilhamento de imagens para mostrar principalmente a sua estrutura, equipe, assim quando seu cliente for procurar pela sua empresa ele saberá como é, e isso criará um laço de confiança. Outro jeito bem legal de utilizar a plataforma é como meio de divulgação de dicas de saúde, bem estar e até mesmo divulgação de serviços.

4. Google Meus Negócios: Na verdade o Google Meus negócios não seria uma rede social, mais sim uma ferramenta do Google que ajuda na divulgação da sua empresa. Sabe quando você faz uma pesquisa no google e aparece imagens da empresa,local, endereço e telefone. Tudo isso só é possível por que a empresa utiliza essa ferramenta, nela você inseri todas essas informações, pode acrescentar fotos da empresa, produtos, serviços. E ai toda vez que alguém pesquisar sobre sua empresa no Google todas essas informações irão aparecer, ajudando assim seus clientes e potenciais clientes a te encontrar.

Agora que vocês já conhece as principais redes sociais, separamos algumas dicas de como trabalhar elas da melhor maneira possível, para engajar e atrair clientes.


Converse com seu cliente: Muitos clientes utilizam os chats das redes sociais e até mesmo o Google Meus Negócios para falar da empresa, fazer perguntas e reclamações, aproveite essa oportunidade e fale com ele, tente resolver seu problema. Uma dica nunca demore para responder, ferramentas como o Facebook conseguem mostrar para seus clientes a média de espera para a resposta de uma mensagem e isso pode impactar na decisão do seu cliente de entrar em contato com sua empresa.

Frequência: Outro fator extremamente relevante é a frequência que a sua empresa irá gerar conteúdo para essas redes sociais, procure observar os dias e horários que seus clientes mais utilizam Facebook, LinkedIn, Instagram e publicar seu conteúdo nesses horários, isso gera um envolvimento muito maior na sua publicação.

Utilize vídeos: Hoje muitas Redes Sociais dão mais "relevância" para videos do que para outros tipos de publicações, então vale a pena investir nesse tipo de anúncio. Aproveite essa oportunidade e mostre sua clinica/hospital.

Monitore:  E o mais importante hoje, monitore suas redes sociais, saiba o que seus clientes estão falando de você, o que eles estão fazendo, quantas pessoas clicaram ou visualizaram suas publicações, quantas pessoas pesquisaram sua empresa no Google. Todas essas informações as plataformas que a gente apresentou logo acima fornecem, então comece a explorar.

Cuidados ao viajar com seu animal de estimação




Muitos dão preferência para viajar nas férias ao invés ficar em casa, se você tem bichinho de estimação e também tem essa preferência se atente aos cuidados á serem tomados. 


Organizar uma viagem com a família num feriado prolongado ou até mesmo nas férias de final de ano é uma das coisas mais prazerosas. E se o animalzinho de estimação puder ir junto, melhor ainda! Mas é bom ficar atento aos cuidados especiais que ele precisa. Prestar atenção nas vacinas, na alimentação e no transporte do animal é fundamental para que a viagem não tenha surpresas desagradáveis.

Segundo a médica veterinária Rhéa Cassuli Lima dos Santos, é muito importante checar o calendário de vacinas. "A vacinação deve estar em dia, principalmente em viagens para destinos mais quentes". Outro detalhe é ficar de olho na comida oferecida ao animal. "A dica é evitar oferecer alimentos que o animalzinho não está acostumado a comer. Eles passam muito mal! Depois de feriados, infelizmente internamos vários cães com pancreatite", lembra a veterinária.

Não se esqueça de manter seu animal hidratado e coma água sempre fresquinha.

Se o destino for a praia, cuidado com a areia: os bichinhos costumam pegar bastante bicho de pé.

Nas viagens de carro todo cuidado com a acomodação é pouca para que ele não se machuque e que tudo ocorra dentro das normas, é recomendável fazer paradas de três em três horas, em média. "Deixe o cãozinho andar um pouco, fazer xixi, e tomar água", reforça Rhéa. 

Cuidado com o transporte do animal no carro. Ele deve ser feito sempre no banco de trás, dentro de uma caixa especial de transporte, ou cinto especial para cães. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, transportar animais em caçambas ou com parte do corpo para fora da janela é infração grave e o condutor perde cinco pontos na carteira, além de pagar uma multa de R$ 127,69. Caso o animal esteja entre os braços ou as pernas do motorista, a multa é de R$ 85,13, além da perda de quatro pontos na carteira de habilitação. 

Nas viagens de avião, não é necessário preencher a Guia de Trânsito Animal (GTA) para cães e gatos, mas é necessário apresentar o atestado de saúde animal, emitido por um veterinário inscrito no Conselho Regional de medicina veterinária. Geralmente o transporte é feito em caixas de fibra de vidro ou caixa plástica. As vacinas também precisam estar em dia! Certas companhias aéreas aceitam cães com até 10kg dentro do avião. Também é preciso verificar o valor especial da passagem para o transporte do animal. 

Evite medicação sem orientação do veterinário. "É preciso entrar em contato com o veterinário da sua confiança para indicar o remédio certo, caso haja vômitos e doenças no geral", lembra a médica. 

Com essas dicas, sua viagem vai ser ótima, e seu bichinho também vai adorar o passeio!






Problemas cardíacos no esporte. Futebol.








Mais uma vez o esporte fica de alerta para os problemas cardíacos que podem assolar alguns esportistas. Esse mês o jogador Abdelhak Nouri (20 anos) do Ajax sofreu uma parada cardíaca durante uma partida amistosa contra o Werder Bremen, internado no hospital desde o dia 08 de Julho, familiares e o clube afirmaram que infelizmente segundo exames o atleta sofreu danos cerebrais permanentes.

A notícia comoveu aos fãs e torcedores do time Holandês que na última semana se mobilizaram junto a casa da família do jogador com gritos de “Appie, Appie” (apelido do jogador), “Nouri, Nouri” ou “Appie we love you”, fogos de artifícios e muitos aplausos.

Mais essa não é a primeira vez que um fato como esse acontece em um gramado:
O ex-goleiro da seleção brasileira Doni, sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto jogava no Liverpool, o jogador chegou a ficar com o coração parado por 25 segundos, após este incidente, foi aconselhado a deixar o futebol, o que veio a acontecer em agosto de 2013.

O jogador Renato Abreu descobriu em 2012 enquanto jogava pelo Flamengo uma arritmia cardíaca, o jogador precisou realizar uma cirurgia no coração e um mês após já tinha voltado aos treinamentos.
O atacante Adílson (atual jogador da portuguesa) já correu o risco de ter as chuteiras penduradas devido à uma inflamação do miocárdio.

Uma das histórias mais conhecidas foi a morte do zagueiro Serginho (30 anos), do São Caetano, durante uma partida com o São Paulo no estádio do Morumbi em 2004, o jogador sofreu uma parada cardiorrespiratória durante o jogo, foi atendido no local mais infelizmente faleceu cerca de uma hora depois no Hospital São Luiz.
No ano passado o lateral-direito Canavarros faleceu aos 21 anos enquanto treinava pelo XV de Piracicaba, o atleta foi encaminhado à Santa Casa para receber os primeiros socorros após parada cardíaca no entanto veio a falecer alguns dias após o ocorrido.

Buscando prevenir para que cada vez mais fatalidades como essas não ocorram entidades de saúde e até mesmo os clubes estão cada vez mais alertas.