6 Dicas para Cuidar do Corpo o Verão


Apesar de o clima quente ser mais comum no verão, nada impede o sol de aparecer com toda a força em pleno inverno - e é preciso estar preparado até mesmo nessas situações adversas. Dias de calor intenso podem causar danos à saúde se não forem tomados os cuidados adequados. "O organismo perde líquidos naturalmente ao longo do dia e esse quadro se agrava nos dias quentes, podendo causar alterações metabólicas", explica a nutricionista Flávia Ferazzo, de Goiânia. A seguir, confira como passar qualquer dia de calorão sem ficar no sufoco! 

Hidratação em primeiro lugar nos dias quentes, o corpo precisa liberar calor por meio do suor para manter a temperatura corporal - eliminando água e sais minerais. De acordo com a nutricionista Flávia Ferazzo, sem a quantidade de água e sais minerais necessários, a pessoa fica com o metabolismo comprometido, podendo ter mais chances de sofrer lesões musculares, tonturas, cãibras, diminuição do desempenho físico, menor disposição e dificuldades de concentração. 

"A sede é um sintoma tardio de falta de água - significa que o nosso corpo já está sofrendo uma pequena desidratação", explica a nutricionista. Por isso, é recomendado beber água aos poucos durante o dia, antes que a sede apareça. Uma dica para saber se seu corpo precisa de líquido é a urina - se for ao banheiro e perceber que ela está com cor escura e odores fortes, você está ingerindo pouca água. A urina deve estar bem clara, quase transparente! 


1. Alimente-se bem

Algumas frutas e vegetais apresentam grandes quantidades de água em sua composição. A melancia, por exemplo, tem mais de 90% do seu peso em água, assim como as folhas verdes. "Outra fonte importante é o leite, que possui mais de 80% de água em sua composição", declara Flávia Ferazzo. Além de serem ricas em líquidos, as frutas e verduras são fonte de potássio, mineral que precisa ser resposto quando há uma produção de suor muito intensa. "Portanto, invista também nos sucos de frutas para repor a água e os sais minerais perdidos em dias quentes", recomenda a nutricionista. 

O consumo de gorduras deve ser evitado em dias muito quentes, pois elas não são bem metabolizadas, por conta da perda de líquidos do organismo. O resultado de um almoço cheio de frituras, por exemplo, pode ser uma sensação de mal-estar e desconforto algum tempo depois


2. Exercícios físicos

Durante a atividade física, a pessoa se desidrata e perde muito sódio e potássio. É preciso ingerir líquidos: "Apesar de não fornecer todos os nutrientes que os isotônicos possuem, a água já pode ser suficiente para controlar a temperatura corporal, retardar fadiga, prevenir câimbras e evitar o aumento da frequência cardíaca", conta. 

Nos dias quentes, a perda de fluídos no suor é ainda maior e pode variar conforme a intensidade do exercício. Quanto mais intensa e longa for a atividade física, maior deverá ser a quantidade de água ou bebida isotônica ingerida. Confira a dica da nutricionista Flávia Ferazzo para manter a hidratação antes, durante a após a atividade física nos dias quentes: 

- Antes do exercício: tome de 400 a 600ml de água no mínimo duas horas antes de iniciar o exercício; 

- Durante o exercício: caso o exercício tenha mais de uma hora de duração, tomar de 150ml a 350ml a cada 20 ou 30 minutos; 

- Após o exercício: beba o suficiente para matar a sua sede.

3. Use roupas leves

A dermatologista Sara Bragança, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, explica que o ideal é usar tecidos de algodão e malha - que absorvem o suor - e evitar tecidos sintéticos, que atrapalham a evaporação da transpiração. "Também é importante evitar roupas de cores escuras, que absorvem mais o calor por não refletir a luz solar", conta. Para evitar alergias e outros problemas de pele, procure lavar as roupas sempre que usá-las, sem repeti-las, e não usar peças de outras pessoas


4. Para dormir fresquinho

Um dos maiores incômodos dos dias quentes é a hora de dormir, principalmente para pessoas que não têm um ventilador no quarto. A dermatologista Sara Bragança aconselha tomar um banho frio antes de deitar e evitar alimentos como chás e leite quente. "O ideal é usar roupas de dormir frescas, manter o quarto arejado com as janelas abertas e não usar qualquer tipo de cobertor", diz. 


5. Transpirando demais?

Para manter o efeito do desodorante o dia inteiro, a dermatologista Sara Bragança recomenda aplicar um antitranspirante logo após o banho, pois ele obstrui os ductos das glândulas sudoríparas, reduzindo a produção de suor. Manter axilas e virilha também depiladas ajuda a evaporar o suor e diminuir a proliferação de bactérias, responsáveis pelo mau cheiro. Caso você sofra com suor nos pés, é possível usar talco ou mesmo o antitranspirante usado nas axilas, que funcionará reduzindo a transpiração dessa área também. 


6. Fuja do sol!

A temperatura corporal interna de uma pessoa deve ser de 37º C, independente do horário do dia. Para que o corpo não perca muito líquidos no esforço de se manter essa temperatura ideal, evite ficar exposto ao sol, principalmente, das 10 às 16 horas. 

A exposição excessiva ao sol pode causar hipertermia, que é quando o corpo não consegue mais estabilizar o calor interno. "Nesse estágio, o organismo direciona toda sua energia para tentar dissipar o calor e, assim, algumas células param de funcionar, podendo causar desmaios graves", diz o fisiologista do esporte Daniel Portella, da Secretaria de Esportes de São Caetano do Sul.


Fonte de Informação

A tristeza do coração, tem nome....Depressão


Segundo o Ministério da Saúde, uma em cada quatro mulheres sofre de depressão. Entre os homens, o índice não ultrapassa os 12%. Como se não bastasse a prevalência da doença, principalmente no público feminino, um novo alerta dos especialistas soma-se aos fatores que levam a doenças cardiovasculares: a depressão. “O fato é que a depressão não é só um estado de humor, ela é uma doença física, que altera o sistema nervoso. Quem tem a doença apresenta uma produção alterada de hormônios que são mediadores de inflamação e que, por consequência, aumentam o risco de aterosclerose”, explica o cardiologista Otávio Gebara, do Hospital TotalCor (SP). 

A aterosclerose é uma inflamação das placas compostas por gordura e tecido fibroso, que pode levar à obstrução progressiva dos vasos. ‘“Nos pacientes depressivos, os níveis de proteína C reativa, que é um marcador inflamatório importante, ficam elevado, assim como os níveis de cortisol e noradrenalina no sangue”. Porém a depressão atua sobre o coração também por uma outra via, não menos perigosa. “Ela pode comprometer a frequência cardíaca”, diz a psicóloga Glória Heloise Perez, chefe do ambulatório do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo (InCor). Na prática, quem tem depressão pode sofrer com o batimentos cardíacos irregulares ou acelerados, aumentando o risco de infarto.


Um terceiro motivo explica a incidência de problemas do coração entre os depressivos. “Como a depressão cursa com sintomas como a falta de energia e o cansaço, é comum que esses pacientes adquiram hábitos de vida muito ruins. Eles fazem menos exercícios, alimentam-se mal, desistem de seguir o tratamento recomendado pelo médico. Esse estilo de vida aumenta muito o risco de doenças, incluindo as do coração”, diz Gebara.

Atenção aos sinais

Antes que a depressão tenha desdobramentos importantes, como as alterações cardiovasculares, convém buscar ajuda especializada. No entanto, para diferenciar a depressão de um simples quadro de tristeza temporária, alguns sinais são clássicos: além da mudança de humor e do desinteresse por atividades que antes lhe davam prazer, o depressivo normalmente apresenta pelo menos quatro outros sintomas, como aumento ou diminuição do apetite, aumento ou diminuição do sono, dificuldade para se concentrar ou para tomar decisões, agitação ou lentidão do estado psicomotor, pensamentos de autodepreciação e culpa, pensamentos de morte ou suicídio, cansaço e falta de energia.

Hábitos fazem a diferença

Assumir um estilo de vida saudável ajuda a promover a saúde geral, amenizando tanto os sintomas da depressão quanto das cardiopatias. O essencial, claro, é cuidar da alimentação, manter o peso adequado e praticar exercícios. Essas atitudes auxiliam também no controle de outros fatores de risco, como hipertensão, diabetes, colesterol e obesidade. Outra questão importante é buscar o convívio social. Afinal, é a interação com outras pessoas, numa convivência prazerosa, que ajuda a tirar o foco da doença. 

Nesses encontros, oferecemos ao sistema nervoso central estímulos saudáveis. “Passear, ficar com os amigos, ler, assistir filmes e trabalhar são algumas das atitudes que ajudam a manter o cérebro saudável e, consequentemente, reduzem os riscos de problemas psicológicos. O sono reparador também é fundamental para a manutenção da saúde”, ensina o psiquiatra Fráguas Junior. Manter-se longe do cigarro e do álcool também é superimportante. “É muito comum encontrarmos quadros depressivos ligados ao uso de álcool. Porque a droga provoca uma certa euforia enquanto está fazendo efeito no organismo, mas, no momento da abstinência, o resultado é totalmente o contrário”, diz o cardiologista Otávio Gebara.



FONTE DE INFORMAÇÃO

SÃO PAULO CIDADE DOS ESPORTES AO AR LIVRE.

Já parou para pensar se você realmente conhece São Paulo? Não falo só da cidade, estou falando de todo o estado, uma das principais capitais mundiais, berço da economia brasileira, palco dos principais protestos, revoluções, berço cultural. Também é um palco para quem gosta de atividades exportivas principalmente ao ar livre, pensando nisso montamos um roteiro das principais atividades ao ar livre que você consegue fazer na cidade.

1. VISITE O IBIRAPUERA

Um dos parques mais conhecidos de São Paulo com 1,58 m² o Parque do Ibirapuera é um dos locais mais procurados nos finais de semana pelos paulistanos e é o lugar ideal para quem quer sair com a família e amigos. 

  • Horário de Funcionamento: 5 h às 0 h (aberto 24 h de sábado para domingo).
O Parque possui quadras para quem quer praticar atividades como basquete, vólei, futebol, parques infantis além de ter ruas para pratica de caminhadas, ciclismo, andar de patins, o parque também conta com serviço de aluguel de bicicletas, área para prática de skate.


2.  ANDAR DE BICICLETA NA PAULISTA

Desde o dia (25/06) a Av. Paulista está fechada para o tráfego de carros, o que permitiu aos paulistanos o uso de via para pratica de atividades ao ar livre como andar de patins, skate e ciclismo.

3. QUE TAL ANDAR DE BALÃO?


A menos de 123 km da capital a cidade de Boituva é a capital paulita do passeio de balão, para quem é fã de uma atividade diferente, ta aí uma ótima ideia. Alguns empresas oferecem juntamente com o serviço Passeio com duração média de uma hora, estacionamento, café-da-manhã, brinde com champanhe ao término do passeio de balão, translado em vans durante todo o evento.


4. VOO LIVRE EM MOGI DAS CRUZES

A aproximadamente 1h30 da Capital, Mogi das cruzes é o lugar ideal para quem quer praticar voo livre. Os voos são feitos do pico do Urubu a 1.140  metros.



5.  E QUE TAL PRATICAR STAND-UP PADDLE NA REPRESA?

Nunca ninguém pensou em sair por ai remando tranquilamente dentro de uma represa em plena São Paulo, hoje os fãs de esportes aquáticos não precisam ir para muito longe, a apenas 40 quilômetros de São Paulo a represa de Mairiporã permite aos praticantes da modalidade utilizar suas águas calmas para praticar o esporte.




Saiba mais sobre a Gastrite

A gastrite ocorre quando o revestimento do estomago fica inflamado ou inchado. A gastrite pode curar por pouco tempo (gastrite aguda) ou pode durar de meses a anos.

CAUSAS

As causas mais comuns da gastrite são:
  • Determinados medicamentos, como analgésicos e anti-inflamatórios, quando tomados por um longo período;
  • Beber muito álcool;
  • Infecção do estomago por uma bactéria chamada Helicobacter pylori;
  • Distúrbios autoimunes (tais como anemia perniciosa);
  • Refluxo da bile no estomago (refluxo de bile);
  • Abuso de cocaína;
  • Ingestão de substancias corrosivas (como venenos) ou que causam queimaduras;
  • Estresse excessivo;
  • Infecção viral, como citomegalovírus e vírus de herpes, principalmente com pessoas com sistema imunológico fraco;
  • Contagem completa de células sanguíneas (CBC) para verificar se há anemia ou poucas células sanguíneas;
  • Exame do estomago com endoscópio (endoscopia);
  • Testes de H. pylori;
  • Exame de fezes para verificar pequenas quantidades de sangue nas fezes, o que pode ser um sinal de sangramento no estomago;
  • Perda de Apetite;
  • Náusea e Vômito;
  • Dor na parte superior da barriga ou do abdome;
  • Fezes escuras;
  • Vomitar sangue ou material semelhante a borra de café.




As causas menos comuns da gastrite são:

Trauma ou uma doença grave e súbita, como cirurgias, insuficiência renal ou ser colocado em respirador pode causas gastrite.

Sintomas de Gastrite:

Muitas pessoas com gastrite não apresentam sintomas.

Os sintomas que você pode notar são:

* Se a gastrite tiver causando sangramento na parede do estomago, os sintomas poderão incluir :
Se você tiver com alguns desses sintomas é aconselhável já procurar um médico.
   

Saiba o que é a Cinomose Canina, e como faço para prevenir meu cão de pegar.

O que é Cinomose

A Cinomose canina é uma doença causada por um vírus que pode ser encontrado no fluxo nasal ou ocular, sendo encontrado também no sangue circulante do cachorro infectado ao longo de sua evolução, determinando diferentes sintomas. O vírus responsável por tal doença é muito resistente às baixas temperaturas, sendo que em temperaturas acima de 60°C a sua destruição ocorre em 30 minutos, e desinfetante do tipo Lisol contendo a concentração de apenas 1% tem a capacidade de destruí-lo rapidamente.

Quais cachorros contraem a doença e os sintomas

A cinomose canina geralmente aparece em cães mais jovens de quaisquer raças, em seus primeiros anos de vida, animais mais velhos que não tenham sido imunizados com a vacina também contraem a doença. A cinomose canina é uma doença muito aguda e febril, o vírus se instala no organismo contraído pelo ar, alimentos e água contaminados com secreções de animais contaminados.

A cinomose canina ataca diferentes órgãos, sendo considerada altamente contagiosa, mas seres humanos não são infectados. Dentre os principais sintomas da cinomose se destacam o corrimento nasal ou ocular, febre, vômito, diarreia, depressão, desidratação, apatia e a falta de apetite.

Tratamento da cinomose canina

O diagnóstico da cinomose canina é feito através de exames em laboratórios e seu tratamento é difícil. O tratamento vai depender do estágio em que a doença está e a capacidade imunológica do seu cão. O tratamento é a base de medicamentos que diminuam a inflamação no cérebro, medicação para aumentam a resistência, alimentação adequada e rica em vitaminas e medicamentos para eliminar doenças que aparecem devido à baixa imunidade por causa da cinomose.

Para que seu cachorro não contraia a cinomose canina e mais nenhuma outra doença o mais recomendado é que ele seja vacinado.