Os segredos da Yacon, para quem sofre com Diabete.


Ela controla a glicemia e ajuda a diminuir o colesterol. Conheça mais benefícios do alimento que tem apenas 22 calorias a cada 100 gramas.

A batata Yacon é ótima para diabéticos, afirma a nutricionista funcional Érika Almeida, da consultoria VitaleNutri. Apesar de ainda ser pouco popular, ela traz muitos benefícios à saúde.
Com o formato parecido com o da já conhecida batata-doce, a yacon é um tubérculo originário dos Andes e tem um sabor adocicado, que muitos associam ao da pera. Segundo o Centro Internacional da Batata (CIP), no Peru, 100 gramas de yacon contêm apenas 22 calorias, contra 64 da mesma quantidade de batata inglesa.
O diferencial da yacon é que ela é aliada de quem tem diabetes do tipo 2, distúrbio desencadeado por alimentação muito açucarada e sem origem genética, como o diabetes tipo 1.
“Diferente de outros alimentos, essa batata tem o fruto-oligossacarídeos (FOS), um tipo de açúcar que o organismo é praticamente incapaz de absorver”, explica Érika.
“O diabético tem resistência à insulina, então, se ele come alimentos de alto índice glicêmico como o macarrão e a batata comum, isso eleva a taxa de açúcar no sangue. A yacon não eleva esse nível, assim como a abóbora, a cará e outras raízes”, ensina a especialista.
Os benefícios da yacon não param por aí. Segundo o nutricionista clínico e funcional Fábio Bicalho, estudos sugerem que o tipo de açúcar contido nela também ajuda a reduzir o colesterol.
A yacon ainda é rica em prebióticos, substâncias que favorecem a saúde da flora intestinal e combatem a prisão de ventre, e tem inulina, uma fibra alimentar solúvel presente também em vegetais como a alcachofra, aspargo e alho-poró, entre outros.
Bicalho acrescenta que a batata aumenta a absorção de minerais no organismo, por ser fonte de ferro, fósforo, sódio, potássio e cálcio.
“Ela melhora o ambiente e a permeabilidade da mucosa intestinal ajudando na absorção de nutrientes”, esclarece.
Como a batata tem um sabor adocicado, a nutricionista Érika recomenda que ela seja utilizada em preparos doces, como bolos ou sucos.
A yacon pode ser substituída pela cenoura em um bolo, adicionada em sucos verdes ou até mesmo consumida cozida. Se for para usar em sopas, é ideal que a base da sopa seja feita com outros ingredientes”, aconselha Érika, que costuma indicar o alimento para pacientes que buscam uma alimentação mais equilibrada, crianças e idosos.
Por ter baixo valor calórico, a batata pode ser uma aliada a quem está fazendo dieta. Érika esclarece que nenhum alimento, claro, faz efeito sozinho.
“A yacon tem que ser utilizada numa dieta equilibrada e associada nas receitas, como em um bolo que não eleva as taxas de açúcar no sangue”, exemplifica. A nutricionista orienta: a batata é mais facilmente encontrada em feiras livres do que em supermercados.

O que é Arritmia cardíaca?



Arritmia cardíaca nada mais é do que alterações elétricas no coração, quando ocorrem elas causam modificações no ritmo dos batimentos cardíacos. Existe hoje dois tipos de arritmia cardíaca: a Taquicardia ( quando nosso coração bate rápido de mais) e a bradicardia (quando as batidas deles são mais lentas e em outros casos quando o coração pulsa de maneira irregular).

As causas

As arritmias cardíacas cardíacas podem ser causadas por:
  • Anemia;
  • Ansiedade, estresse, medo;
  • Cafeína;
  • Alguns medicamentos, incluindo aqueles para tratamento de doença da tireoide, asma, pressão arterial alta ou problemas cardíacos;
  • Cocaína;
  • Pílulas para emagrecimento;
  • Exercício;
  • Febre;
  • Ventilação excessiva;
  • Baixos níveis de oxigênio no sangue;
  • Doença de válvulas cardíacas incluindo o prolapso da válvula atrioventricular esquerda;
  • Nicotina;
  • Tireoide excessivamente ativa.

Observações:                        

Em condições normais, o coração bate entre 60 e 100 vezes por minuto. Em pessoas que se exercitam rotineiramente ou que recebem medicamentos para diminuir o ritmo cardíaco, a frequência pode cair para 55 batimentos por minuto.

Se sua frequência cardíaca for rápida (mais de 100 batimentos por minuto), essa condição é chamada de taquicardia. A frequência lenta é chamada de bradicardia. O batimento cardíaco extra ocasional é chamado de extrassístole.

De modo geral, as arritmias cardíacas não são quadros considerados graves. Entretanto, isso depende de as sensações representarem ou não um ritmo cardíaco anormal (arritmia). As condições a seguir indicam maior probabilidade de ritmo cardíaco anormal:
  • Doença cardíaca conhecida à época da manifestação das palpitações
  • Fatores de risco significativos para doença cardíaca
  • Válvula cardíaca anormal
  • Anormalidade de eletrólitos no sangue -- por exemplo: baixo nível de potássio 

Cuidados em casa


Diminuir a ingestão de cafeína reduzirá significativamente as arritmias cardíacas. Diminuir o estresse e a ansiedade pode ajudar a atenuar a frequência ou a intensidade das arritmias cardíacas. 

Na ocorrência de arritmia cardíaca, deve-se praticar exercícios de respiração ou de relaxamento profundo (um processo passo-a-passo de enrijecer e em seguida relaxar cada grupo muscular do corpo). A prática regular de yoga ou tai chi pode reduzir a frequência das palpitações. Deve-se manter um registro da frequência das palpitações, quando ocorrem, a duração, a frequência cardíaca no momento da ocorrência e o que a pessoa estiver sentindo na ocasião. Essas informações poderão ajudar o médico a diagnosticar tanto a gravidade quanto a causa subjacente das palpitações.
Saiba mais
  • Marca-passo regula frequência cardíaca e aumenta longevidade
Uma vez descartada a gravidade do quadro pelo médico, tente NÃO prestar atenção às arritmias, a menos que se perceba aumento súbito das mesmas ou qualquer alteração no quadro. Caso a pessoa nunca tenha sofrido de arritmias cardíacas anteriormente, o fato deverá ser informado ao médico.










Tosse pode ser sinal de doenças cardíacas em cães

Como já visto anteriormente aqui no blog os cães , como outros animais sofrem com doenças cardíacas e existem várias maneiras de ir percebendo isso , hoje iremos relatar sobre a tosse para que possam entender melhor.

Alerta a veterinária Luciane Martins, especialista em cardiologia, do Hospital Veterinário Pet Center Marginal. “O tutor precisa ficar atento aos sinais para que o tratamento seja iniciado o quanto antes possível”, avisa a especialista.
Um dos sintomas mais comuns, que muitas vezes passa despercebido, é a tosse que lembra um engasgo. “Parece que o animal está sufocando com algo, mas logo passa. Em geral, esse tipo de comportamento aumenta à noite, além disso, costuma estar associado à perda de apetite, cansaço durante os passeios, falta de ar e desmaios” exemplifica a veterinária.
A melhor forma para ter o diagnóstico precoce é se habituar a levar os animais às visitas periódicas no veterinário. “Ao auscultar esses pacientes, podemos identificar o sopro, e alterações no ritmo dos batimentos (arritmias) e avaliar a normalidade dos sons pulmonares. E para confirmar o diagnóstico serão realizados exames como o ecocardiograma, o eletrocardiograma e o raio-X do tórax”, avisa.
Uma das enfermidades mais comuns em cães acomete a válvula mitral (Endocardiose de Mitral), doença adquirida que aparece com a idade avançada. Segundo a veterinária, esse tipo de doença afeta principalmente os cães de raça pequena, aqueles que hoje são os mais populares no país, como o Poodle, Dachshund, Maltês, Lhasa Apso, Yorkshire, Shi-Tzu, Chiuaua, Cocker Spaniel e Pinscher.
De acordo com a Dra. Luciane, a válvula mitral tem a característica de fechar e abrir para permitir que o sangue flua de um compartimento do coração para o outro. “Uma degeneração nos folhetos que compõem a válvula, relacionada à raça e idade, ocasiona o problema, e faz com que ocorra um mal fechamento deste aparelho, causando um refluxo para o átrio esquerdo e acúmulo de sangue no coração”, esclarece.
Em outras palavras, com a condição, o organismo recebe oxigenação ineficaz, e o sangue congestionado no coração leva à insuficiência do órgão, sendo diagnosticado como insuficiência cardíaca congestiva. Nesta fase o cão deve apresentar relutância aos passeios, cansaço fácil e menor desempenho nas atividades em geral, além da tosse.
Mas por que a tosse acontece? Com o sangue acumulado, a pressão dentro do coração aumenta. Aos poucos, para comportar o grande volume de sangue, o átrio começa a expandir de tamanho. Com o aumento do órgão, ele pressiona a traqueia, causando a tosse, que pode ficar mais ou menos intensa conforme a posição do animal e o seu esforço físico.
Apesar de não ter cura, a doença pode ser controlada com medicação, retardando sua progressão e o mais importante, trazendo conforto para o animal.

10 alimentos que fazem mal ao seu bichinho.


Diversos tutores de cães têm o forte desejo de agradar seus animais com alguma guloseima, especialmente, quando o animal faz aquela carinha de pidão.  No entanto, alguns alimentos podem ser prejudiciais e causar danos irreversíveis à saúde do bicho e, inclusive, levá-lo à morte.

Confira a lista com os 10 alimentos de consumo proibido para cachorros.

Chocolate: Apesar de ser delicioso, o chocolate possui teobromina, uma substância similar à cafeína. A ingestão, mesmo que em pequenas quantidades, pode provocar vômito, diarreia, sede excessiva, além de tremores, convulsões e alteração nos batimentos cardíacos. A guloseima também pode causar alergias e provocar uma intoxicação grave que leva à morte.
Sendo assim, opte apenas pelos chocolates desenvolvidos exclusivamente para animais e vendidos sob supervisão veterinária.
Bebidas alcoólicas: Cerveja, licor, vinho, e bebidas em geral que contenham álcool geram os mesmos efeitos no fígado e cérebro de um cão que nos seres humanos. No entanto, os malefícios para os cães podem ser ainda maiores, uma vez que causam vômitos, diarreia, alterações no sistema nervoso central, problemas de coordenação, dificuldade respiratória, coma e até a morte. De acordo com as proporções, quanto menor for o cão, maior o efeito.
Uva ou uva passa: Embora muitos petiscos para cães possuem uvas ou passas, esse é um alimento que não deveria ser oferecido para o animal. Ainda não se sabe ao certo o motivo, mas uvas e passas podem causar insuficiência renal precoce, vômitos e podem deixar o cão bastante apático.
Macadâmia: Basta uma pequena quantidade de macadâmia para o cão ser envenenado e até mesmo morrer. Isso porque esses tipos de nozes, se ingeridos, geram uma intoxicação grave com sintomas que incluem  tremores musculares, fraqueza ou paralisia dos membros posteriores, vômitos, temperatura corporal elevada e frequência cardíaca rápida.
Alho e cebola: O alho e a cebola causam o mesmo efeito negativo na saúde dos cães. Tanto em suas versões cozidas, desidratadas, em pó ou mesmo cru, os dois alimentos podem ser responsáveis pela destruição de células vermelhas no sangue do animal, levando-o à anemia. Se for ingerido em grandes quantidades, o alho e a cebola podem causar intoxicação que apresentam sintomas como fraqueza, vômitos, apatia, falta de apetite e de ar.
Abacate: Apesar de ser inofensivo para humanos, o abacate entrou para a lista de alimentos mais perigosos para cães da ASPCA, em 2009. Isso porque toda a planta do abacate - semente, casca, folhas e fruto – contém uma substância denominada Persin, que é altamente tóxica e letal para cães. Procure evitar qualquer tipo de contato.
Bebidas com cafeína: Pouco importa a quantidade ingerida, a cafeína pode ser letal para o cachorro e não há antídotos. A reação no corpo dos animais é similar a um envenenamento, uma vez que provoca sintomas como agitação, respiração acelerada, palpitações cardíacas, tremores musculares, convulsões e sangramento. É importante ter em mente que, além do chá e café, a cafeína também pode ser encontrada em bebidas com cacau, chocolate e energéticos. Alguns medicamentos para resfriado e analgésicos humanos também podem conter cafeína.
Ossos: tutores comumente pensam em agradar seus cachorros com um osso. No entanto, os ossos cozidos, fervidos ou esquentados podem ser responsáveis por lesões nos dentes e boca, problemas estomacais (caso o osso fique colado na parede no estômago) e até hemorragia, se o animal engolir um pedaço pontiagudo. Nesse caso, tutores devem optar pelas opções industrializadas, uma vez que não possuem este tipo de risco.
Frutas com sementes: O problema não é sempre as frutas em geral, mas sim, as suas sementes. Isso porque os caroços presentes em frutos podem causar uma inflamação no intestino delgado dos cães. Além disso, as sementes também podem causar obstruções, hemorragias e até envenenamento. Evite ao máximo oferecer frutos com sementes e caroços ao animal.
Doces e comidas açucaradas: Guloseimas são muito saborosas, mas podem ser grandes vilãs dos animais. Os doces em geral e alguns produtos de panificação possuem o xilitol, uma substância responsável pelo aumento da insulina que circula no corpo do cachorro. Caso isso ocorra, haverá uma alteração na taxa de açúcar do cão que pode levá-lo a insuficiência hepática. Os sintomas iniciais incluem vômitos, letargia e perda de coordenação. Eventualmente, o cão pode ter convulsões. A insuficiência hepática pode ocorrer dentro de poucos dias.

Já ouviu falar da Síndrome do Coração Partido?


As vezes parece que aquele aperto no peito nunca mais vai embora, você passa dias e dias com aquela angustia, aquela tristeza, aquela vontade de sumir e não voltar nunca mais.

No entanto esses podem ser sintomas de uma doença "nova" até para a medicina atual, a Síndrome do Coração Partido. Normalmente essa síndrome surge em mulheres ou pessoas que passaram por uma forte emoção, pode ser a perda de um ente querido, o termino de um relacionamento, um trabalho que não deu certo, uma traição, problemas em casa. Alguns médicos/pesquisadores acreditam que ao passarmos por esses problemas o excesso de adrenalina liberado pelo nosso corpo seja o responsável pelo má funcionamento do coração.

Principais Sintomas:

Podendo ser muito parecida com os Sintomas de um Infarto, muitas pessoas acreditam que naquele momento estão realmente tendo um ataque.

  • Dor forte no peito;
  • Falta de ar;
  • Pode levar algumas pessoas à desmaiar.
Na síndrome, a artéria não tem obstrução, o coração para, mas volta ao normal. Os casos descritos como Síndrome do Coração Partido aconteceram mais por estresse, pela emoção mesmo do momento que a pessoa está passando.