Cardiomiopatia Ditalata...afeta principalmente cães de grande porte.

Cardiomiopatia dilatada é uma doença do coração que se caracteriza pela dilatação do tamanho do coração, perdendo com o tempo a força necessária para bombear o sangue do coração para o resto do corpo.

As paredes do coração, com a evolução da doença, se tornam mais finas e menos elásticas perdendo a força de contração. Com isso o sangue oxigenado não chega ao resto do corpo em quantidade suficiente e quem sofre mais com isso são os rins e pulmões.

Essa dilatação pode estar associada também a arritmias cardíacas complicando ainda mais a função desse órgão. A Cardiomiopatia Dilatada é uma das causas mais comuns de insuficiência cardíaca congestiva em cães de raças grandes e gigantes.

As causas que levam o cão a desenvolver a cardiomiopatia dilatada não são conhecidas, mas existem fatores nutricionais envolvidos (deficiência de taurina e/ou carnitina), doenças imunomediadas, infecções virais, distúrbio genéticos, hipotireoidismo, miocardites entre outros.

No inicio da doença, podemos não perceber nenhum sintoma ou desconforto, mas com a evolução da doença (com o tempo), começamos a perceber os primeiros sintomas como dificuldade respiratória, cansaço fácil, língua azulada, as vezes desmaios e, em alguns casos, podemos sentir a batida do coração irregular (arritmia) ou muito forte, somente encostando a mão no peito deles.

O diagnóstico é feito pelo Médico Veterinário em um exame de rotina, onde percebe essas alterações no ritmo e na frequência cardíaca, e tem a confirmação com exame de Rx de tórax (onde vemos o aumento do tamanho do coração), eletrocardiograma e principalmente com o exame de Ecocardiograma (ultrassom do coração).

Todos os cães afetados com cardiomiopatia dilatada devem ser tratados corrigindo as arritmias, aumentando a força de contração do músculo do coração e evitando o acúmulo de sangue nos pulmões, aliviando o desconforto e melhorando a qualidade de vida.


0 comentários: