Saiba mais sobre a Síndrome de Kawasaki.

A síndrome de Kawasaki é uma doença que afeta principalmente as crianças com menos de 5 anos e provoca erupção cutânea, febre, inflamação dos gânglios linfáticos e, por vezes, inflamação do coração e das articulações. 


Desconhece-se a causa da síndrome de Kawasaki, mas alguns fatos sugerem que pode ser provocada por um vírus ou por outro agente infeccioso. A síndrome de Kawasaki foi descrita pela primeira vez no Japão, nos finais dos anos 70. Desde então, milhares de casos têm sido diagnosticados em todo o mundo em diversos grupos étnicos, embora a síndrome continue a ser mais frequente no Japão.

Em geral as crianças com a síndrome de Kawasaki têm entre 2 e 5 anos, embora a síndrome também ocorra em adolescentes. Afeta aproximadamente o dobro de meninos em relação à meninas. O problema raramente afeta vários membros da mesma casa.

Sintomas


A doença começa com febre, que oscila muito, mas que normalmente ultrapassa os 39°C. A criança fica irascível, muitas vezes sonolenta e de vez em quando tem dores abdominais. 

Um dia aparece um exantema vermelho, em forma de manchas, normalmente no tronco e à volta da zona da fralda. Ao longo de vários dias, o exantema afeta as membranas mucosas, como a camada interna da boca ou da vagina. A criança tem a garganta vermelha, os lábios vermelhos, secos e com fissuras e a língua vermelha como um morango. Ambos os olhos ficam vermelhos, mas não supuram. Também as palmas das mãos e as plantas dos pés adquirem uma cor vermelha ou púrpura e as mãos e os pés incham. A pele dos dedos das mãos e dos pés começa a soltar-se entre o 10.º e o 20.º dias posteriores ao início da doença. Muitas vezes os gânglios linfáticos do pescoço inflamam-se e tornam-se ligeiramente dolorosos. 


A complicação mais grave da síndrome de Kawasaki é a afetação do coração. Os outros sintomas da doença não implicam problemas crônicos da pele, dos olhos ou dos gânglios linfáticos. Aproximadamente entre 5 % e 20 % das crianças com síndrome de Kawasaki desenvolvem complicações que afetam o coração. Estas complicações começam normalmente entre a 2.ª e a 4.ª semanas depois do início da doença.



O problema cardíaco mais grave é o alargamento anormal (dilatação) das artérias coronárias. Embora uma dilatação ligeira das artérias possa não ser grave e no fim resolver-se, a dilatação intensa (aneurisma) pode provocar um ataque cardíaco e morte súbita.

Outras complicações da síndrome de Kawasaki, como a inflamação dos tecidos que rodeiam o cérebro (meninges), das articulações e da vesícula, finalmente saram sem deixar sequelas.







Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se nos sintomas e não nos resultados de análises específicas. A febre que dura menos de 5 dias e o aparecimento de 4 das 5 alterações corporais (erupção, extremidades vermelhas e inchadas, vermelhidão ocular, alterações nos lábios e na boca, inflamação dos gânglios linfáticos) permitem fazer o diagnóstico. As análises ao sangue, primeiro, revelam um número elevado de glóbulos brancos e baixo de glóbulos vermelhos (anemia). Mais tarde detectam-se valores elevados de plaquetas. Podem também alterar-se os resultados de outras análises, dependendo dos órgãos afetados.

Prognóstico

Se as artérias coronárias não tiverem sido afetadas, regra geral as crianças recuperam completamente. Entre 1 % e 2 % das crianças com síndrome de Kawasaki morrem, normalmente por complicações cardíacas. Destas, mais de 50 % morrem dentro do 1.º mês, 75 % dentro de 2 meses e 95 % antes dos 6 meses, mas a morte pode ocorrer até 10 anos depois, por vezes de forma súbita e inesperada. Os aneurismas mais pequenos das artérias coronárias têm tendência para desaparecer num ano, mas estas artérias podem ficar debilitadas e provocar problemas do coração anos depois.

0 comentários: