Conheça mais sobre o Câncer de Mama em animais.


O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer diagnosticado em cães fêmeas no Brasil e, ironicamente, é considerado um tipo de câncer passível de prevenção pela castração precoce (até 1 ano de idade) das fêmeas caninas. O câncer normalmente é diagnosticado em cadelas a partir dos 7 anos de idade, porém, alguns animais podem desenvolver a doença precocemente.

Normalmente, o câncer de mama é suspeitado pelo aparecimento de nódulos (único ou múltiplos) nas mamas. Algumas outras formas da doença, como, por exemplo, a ocorrência de feridas que envolvem a mama e a pele ao redor, podem representar uma forma mais agressiva da doença, conhecida como carcinoma mamário inflamatório. Aproximadamente 70% dos cânceres de mama em cadelas são maligno, quanto mais precoce for o diagnóstico, isto é, quanto menor for o tamanho do nódulo da mama, maior será a chance de cura.

Como tratamento, recomenda-se a cirurgia para retirada da mama, de um segmento ou ainda de toda a cadeia mamária que contenha os nódulos.Também fica indicada a retirada cirúrgica dos linfonodos (ou gânglios linfáticos) que drenam a mama onde o tumor apareceu. A análise anátomo-patológica (microscópica) do nódulo da mama e dos linfonodos comprova a natureza da doença e também define se ocorreu a disseminação linfática regional. Em casos em que a disseminação é constatada, fica indicado o tratamento quimioterápico como um complemento à cirurgia.

Pacientes caninas diagnosticadas com câncer de mama em estadiamento clínico inicial (isto é, nódulos pequenos e sem disseminação regional para os linfonodos) têm alta chance de cura. Quando existe evidência do câncer nos linfonodos regionais, o prognóstico é mais reservado, porém ainda existem possibilidades de tratamento e cura. Quando o câncer apresenta-se disseminado em órgãos distantes (metástase), o prognóstico é desfavorável, mesmo assim a paciente pode se beneficiar de tratamento paliativo com manutenção da qualidade de vida. Os sítios mais comuns de disseminação metastática do câncer de mama em cadelas são pulmão, fígado e também ossos.

Em gatas, o câncer de mama apresenta um potencial de malignidade maior do que nas cadelas. Aproximadamente 80% a 90% dos cânceres de mama em gatas são malignos e apresentam alta chance de disseminação metastática para linfonodos e pulmões. A cirurgia para a retirada dos cânceres de mama em gatas deve ser praticada de forma mais agressiva do que em cadelas, pois o índice de recidiva (quando o câncer volta a crescer no local onde originalmente ele foi retirado) é bastante alto. As gatas são sempre beneficiadas do tratamento quimioterápico complementar à cirurgia, pois a possibilidade de disseminação da doença para o pulmão é relativamente comum na espécie.

 

0 comentários: