Saiba como envelhecer com saúde.

O Brasil está envelhecendo. E uma recente projeção feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que a população de idosos crescerá de maneira vertiginosa nos próximos anos. Se em 2008 existiam 24,7 pessoas com mais de 65 anos para cada 100 indivíduos de 0 a 14 anos, em 2050, a proporção será de 172,7 idosos para cada centena de crianças e adolescentes. Estima-se também que a expectativa de vida do brasileiro aumentará para 81,29 anos.

O segredo está na prevenção



O geriatra adianta: "Não existe fórmula ou pílula mágica. Quem está buscando isso deve desistir. O envelhecimento saudável está relacionado à forma como tratamos o nosso corpo ao longo da vida e da maturidade. As pessoas devem ter essa consciência e planejar-se, de modo que, quando essa fase da vida chegar, elas possam lidar com os problemas decorrentes dela de maneira adequada"

De acordo com Sonia Martins Fontes, médica geriatra da Clínica Sainte-Marie Hospice e Cuidados Paliativos (SP), a prática de exercícios físicos como forma de evitar o sedentarismo é essencial, assim como ter uma alimentação balanceada. "Não é bom ter uma dieta excessivamente rica em gorduras e açúcar. Se você fugir dos excessos ou, pelo menos, fazer com que eles sejam esporádicos, na verdade estará fazendo um bem para a sua saúde como um todo. Procure consumir álcool em pequenas quantidades e priorize a ingestão de vegetais, legumes, frutas, grãos integrais, carnes magras e peixes", afirma.


Envelhecimento saudável está relacionado à forma como tratamos o nosso corpo ao longo da vida e da maturidade. As pessoas devem ter essa consciência e planejar-se

Menos estresse!



A médica ressalta a necessidade de combater o estresse e a ansiedade, e estimular o cérebro com atividades que desenvolvam o raciocínio lógico, a memória e também a linguagem. Assim, cria-se uma reserva cognitiva que poderá ser usada no futuro e que ajuda na prevenção de quadros de demência. Acompanhamento médico é importante para identificar problemas de saúde crônicos que podem agravar-se na velhice. É o caso da hipertensão, que, por ser assintomática, acaba sendo descoberta em consultas de rotina. "O problema de pressão alta piora com o avanço da idade. Não tratada, haverá alto risco de derrame e infarto. Com a detecção precoce, esse risco é minimizado", alerta Miranda.


A saída do sedentarismo



Com o passar dos anos, é necessário adaptar as atividades físicas às restrições impostas pelas mudanças físicas. Sonia enfatiza que, nesta fase, as pessoas devem ser orientadas pelo médico e, quando possível, por um educador físico. Se o idoso não tiver acesso a nenhum tipo de orientação, 30 minutos de caminhada diária, cinco vezes por semana, é o suficiente para que ele deixe de ser considerado um sedentário.


Segundo a especialista, os exercícios são ainda mais benéficos quando feitos sob a luz do sol. "A deficiência de vitamina D é um fenômeno mundial, pois ninguém tem o hábito de tomar sol. Um pouco de exposição solar, com os devidos cuidados, garante alguma produção dessa substância tão importante para o equilíbrio da saúde".

Dieta sob controle



Para não agravar quadros clínicos e evitar desnutrição, a dieta também precisa de supervisão médica. No caso de o paciente não possuir nenhum problema de saúde específico, recomenda-se uma redução no consumo de sal e um aumento no de líquidos, frutas, assim como no de vegetais. Manter uma rede de relacionamentos interpessoais é outra medida que contribui para o bem-estar na terceira idade. "Quanto melhor a rede de suporte social do sujeito, ele envelhece melhor. Amigos, família, comunidade em que está inserido, poder público... Se ele tiver qualquer necessidade, poderá contar com essas pessoas", destaca Miranda.

0 comentários: