Doenças das Válvulas Cardíacas - Sinais, Sintomas e Diagnóstico



Os sintomas de doença da válvula do coração nem sempre estão relacionados com a gravidade do problema. A pessoa pode não apresentar quaisquer sintomas e ter doença valvular grave, que requer tratamento imediato. Ou, como num prolapso da válvula mitral, pode ter sintomas perceptíveis, mas os exames mostrarem que o vazamento da válvula não é significativo.

Diagnóstico Clínico – Sinais e Sintomas

  • Falta de ar ou dificuldade em recuperar o fôlego. A pessoa perceber mais isso quando está ativa (nas atividades diárias normais);
  • A pessoa começa a sentir necessidade de dormir apoiado em alguns travesseiros para respirar mais facilmente;
  • Fraqueza ou tonturas. Sensação de fraqueza excessiva para realizar as atividades diárias normais. Podem também ocorrer tonturas;
  • Desconforto no peito. Sensação de pressão ou peso no peito com a atividade;
  • Palpitações. Sensação de ritmo cardíaco acelerado, batimentos cardíacos irregulares ou palpitação;
  • Inchaço dos tornozelos, pés ou no abdômen é chamado de edema. Inchaço na barriga que leva à sensação de inchaço;
  • Aumento rápido de peso.

Diagnostico Laboratorial

O médico coração pode avaliar a presença de doença valvular cardíaca, conversando com o paciente sobre os sintomas, realizando o exame físico e outros testes.

Durante um exame físico, o médico irá fazer auscultação cardíaca para ouvir os sons que o coração faz e como as válvulas abrem e fecham. Também irá ouvir os pulmões para saber se há retenção de líquido, o que mostra que o coração não consegue bombear tão bem como deveria. Ao examinar o corpo, o médico pode encontrar pistas sobre a circulação e o funcionamento de outros órgãos.

Após o exame físico, o médico pode solicitar exames de diagnóstico. Estes podem incluir:

  • Ecocardiograma
  • Ecocardiograma transesofágico
  • Cateterismo Cardíaco
Através da realização de alguns ou de todos estes testes, o médico também pode ver a progressão da doença. Isso vai ajudá-lo a tomar decisões sobre o tratamento.

0 comentários: