Problemas Cardíacos em Animais


Você sabia que um em cada 4 cachorros com mais de 7 anos possuem alguma doença do coração? Conheça as mais comuns e previna o seu bichinho.

Cuidado seu cachorro pode sofrer do coração! A frase pode parecer um pouco exagerada, mas infelizmente ela é real e muito comum entre os cachorros. Ela é fundamentada pelo inquérito realizado no ano de 2008 pela empresa Boehringuer Ingelheim a 1.531 proprietários de cães da Austrália, Canadá, França, Alemanha, Reino Unido e EUA. Que conclui Um em cada quatro cães com mais de sete anos tem alguma doença cardíaca.

"Estima-se que 10% dos cães venha a desenvolver uma doença cardíaca e metade dos donos inquiridos não sabe se o seu animal tem ou não o coração doente".

É exatamente na terceira idade que os problemas relacionados com o coração atacam mais. Visitas ao veterinário aliadas a exames clínicos e laboratoriais são de fundamental importância para que seja possível o diagnostico.

Diferentemente dos Humanos, os cachorros não sofrem de enfartes súbitos e sim de micro enfartes que o deterioram lentamente. 

Nos cães, as doenças cardíacas vão agravando-se progressivamente. Mas tal como nos humanos, os machos são mais propensos ao desenvolvimento de doenças cardíacas do que as fêmeas. Ao contrário do que podem ocorrer com o homem, os animais não são vítimas de infarto do miocárdio, mas de micro infartos decorrentes da degeneração do músculo cardíaco. Assim sendo, animais não morrem de infarto (FAS – FUNDAÇÃO ALEXANDRA SCHLUMBERGER).


Cardiomiopatia Dilatada



Cardiomiopatia Dilatada ocorre quando, com a dilatação do músculo cardíaco, as paredes do coração tornam-se mais finas assim perdendo a força para bombear o sangue. 

A cardiomiopatia dilatada é uma enfermidade caracterizada por uma variedade de alterações do músculo cardíaco que causam insuficiência no bombeamento do sangue. Como o nome indica, as câmaras cardíacas se dilatam ou aumentam e o músculo do coração propriamente dito se torna mais fino e enfraquece, contraindo-se com muito menos vigor do que o normal. O termo cardiomiopatia significa literalmente "doença do coração".


Fibrose ou Endocardiose da válvula mitral 


A Fibrose é mais comum entre os cachorros de pequeno porte. Nesta patologia, com a substituição dos tecidos fibrosos, a válvula começa a enfraquecer, permitindo que parte do sangue inverta o fluxo normal no coração. Os cães podem não sofrer de insuficiência cardíaca, pois, seu corpo, a curto prazo acha maneiras de suprir o oxigênio faltante. Leia a citação a seguir:


"As células começam a libertação hormonal que vão conservar e reter líquidos, o que permite aumentar o volume do sangue. Esta medida é eficaz, mas apenas em curto prazo. A retenção de líquidas prolongada durante meses pode levar à fuga de líquidos que se alojam em regiões indesejadas, como por exemplo, nos pulmões, provocando edemas pulmonares, ou sob pele e no abdômen, ascites. Geralmente quando se fala em insuficiência cardíaca, fala-se também na acumulação de líquidos numa destas regiões do corpo do animal."


Sintomas

Os sintomas são mais presentes entre os animais idosos. Veja os mais comuns:
  • Dificuldade de Respirar; 
  • Alteração da cor na língua; 
  • Rejeição a atividades físicas. 
  • Sono Demasiado; 
  • Fadiga; 
  • Tosse. 

Nos Cachorros mais Jovens

Os problemas podem ser congênitos e muito difíceis de diagnosticar sem exames específicos. Problemas como arritmia cardíaca podem ser sintomas de doenças cardíacas. Consulte seu médico veterinário e faça exames periódicos.


O Tratamento de doenças cardíacas geralmente é feito por medicamentos. Quanto antes for diagnosticado, maior é a probabilidade de sucesso no tratamento que poderá ser realizado à base de medicamentos específicos para cada uma das variações de doenças cardíacas, inclusive com a utilização de diuréticos e vasodilatadores. Tudo, sempre, a critério do médico veterinário responsável pelo acompanhamento do animal. Dieta especifica e exercícios controlados podem aumentar a expectativa de vida do cão.


''A cardiomiopatia geralmente não tem cura e a regressão espontânea é improvável. As metas primárias do tratamento são amenizar os sinais clínicos de insuficiência cardíaca e prolongar a vida. O tratamento para os casos individuais é estabelecido de acordo com a gravidade dos sinais à época do diagnóstico e à presença ou ausência de alterações como a insuficiência cardíaca congestiva e as arritmias".

Cachorros com esse tipo de patologia tendem a piorar com a velhice, mas, os sintomas nunca podem ser confundidos como normais. Os cães com cardiopatias diagnosticadas precocemente conseguem viver com qualidade durante vários anos. Contudo, a esperança de vida de um cão cardíaco varia conforme a gravidade dos casos. Nos casos mais severos, em que se verifica a existência de uma insuficiência cardíaca congênita, por exemplo, após a manifestação dos primeiros sintomas, os cães têm entre seis meses a um ano de vida.


Prevenção

A Prevenção para esse tipo de patologia são exames periódicos. Os chamados exames de rotina após os sete anos de idade, além de uma dieta adequada e balanceada, o que auxilia no aumento da qualidade e da expectativa de vida do animal. 




   


0 comentários: