Conheça os Principais Tratamentos hoje para quem sofreu um AVC.



O tratamento de um acidente vascular cerebral consiste na fase aguda, de manter as funções vitais e evitar complicações. Então, uma vez que o paciente se recuperou, a reabilitação é praticada, a fim de evitar viver com as sequelas do acidente vascular cerebral. Ao deixar o hospital, será necessário também para aqueles que sofreram de AVC isquêmico, tomar medicação para prevenir a ocorrência de outro AVC.
Para resumir, podemos dizer que os objetivos do apoio ao paciente que sofreu um acidente vascular cerebral são os seguintes:
- Manter as funções vitais;
- Repermeabilização arterial: permite diminuir as complicações;
- Tratamento das complicações (neurológicas ou físicas);
- Prevenir as recidivas.
Para fazer isso, vamos utilizar a trombólise, e o tratamento antitrombótico. Para apoio, o tratamento da hipertensão.

Trombólise

A trombólise consiste na dissolução de coágulos sanguíneos com a administração de um medicamento. A trombólise é feita por um neurologista em centros especializados. A trombólise pode ser efetuada quando o acidente vascular cerebral ocorreu há menos de quatro horas. (De acordo com a autorização de colocação no mercado (AMM), falamos mesmo de somente três horas).

Controle da pressão arterial

A pressão arterial deve ser verificada regularmente, sobretudo após uma trombólise. Quando a pressão arterial estiver elevada (acima de 180 mmHg), ela deve ser reduzida progressivamente.

Tratamento antitrombótico

A aspirina é usada no tratamento antitrombótico em doses variando de 160 a 300 mg por dia. A aspirina deve ser administrada imediatamente por via oral ou intravenosa, exceto nos casos em que houve a trombólise. Neste caso, a administração de aspirina ocorre somente após 24 horas. Outros medicamentos antitrombóticos incluem a warfarina e heparina.
Em um acidente vascular cerebral devido à uma hemorragia cerebral, procura-se a causa da hemorragia (como um aneurisma, enfraquecimento de vaso sanguíneo, etc). Se for uma malformação vascular, a operação cirúrgica para corrigir a malformação será realizada.
Para evitar uma recidiva do acidente vascular cerebral devido à isquemia, será feito um tratamento anticoagulante com o paciente com aspirina e/ou clopidogrel. Algumas pessoas podem se beneficiar da injeção intravenosa de um medicamento conhecido como fator de ativação tissular de plasminogênio. Esse fator ajuda na dissolução e quebra dos coágulos e deve ser administrado de 4-5 horas após o início do AVC e não pode ser administrado em pacientes com AVC hemorrágico.

ALGUNS PROCEDIMENTOS INCLUEM:

- A remoção de possíveis coágulos das carótidas, para que elas não caminhem até o cérebro;
- Inserção de uma rede metálica em algumas artérias (stents) para prevenir estreitamento dos vasos;
- Isolamento do aneurisma por grampos, para impedir que ele se rompa. Nesse sentido, outra técnica é a embolização do aneurisma que previne que ele se rompa;
- Remoção cirúrgica de malformações vasculares, normalmente aplicada para malformações pequenas e que não estejam muito profundas no cérebro.
Se o paciente teve um AVC e ficou com seqüelas, é possível fazer sessões de reabilitação e fisioterapia para restabelecer os movimentos. Essas sessões são importantes para que a força muscular e os movimentos sejam readquiridos e o paciente possa ter mais independência. Em muitos casos, uma dieta especifica também é necessária para evitar que outros derrames ocorram, e para que o paciente que está com dificuldade de deglutição possa se alimentar. Uma equipe multiprofissional deve estar envolvida nos cuidados e reabilitação de um paciente que sofreu um AVC, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, etc.  

Tratamento natural

Comer tomates: um estudo finlandês publicado em outubro de 2012 mostrou que comer tomates reduz significativamente o risco de acidente vascular cerebral, uma vez que o tomate é rico em licopeno, um poderoso antioxidante.



0 comentários: