Beber água faz seu corpo funcionar melhor.


Nosso corpo, nossas células, não seriamos nada sem a água, precisamos desse precioso líquido para realizar funções vitais disso todos sabemos. Mas fica mais fácil entender por que não dá para viver sem ele acompanhando sua viagem dentro do corpo, desde o primeiro gole até a eliminação.


"Atenção, preparar... água! ". Essa é a ordem do comandante cérebro depois de soar o alarme da sede. E então você leva um copo ou uma garrafa aos lábios e deixa escoar seu conteúdo. A água inunda a boca e segue goela abaixo. Que alívio! As moléculas de H²O, como uma cascata, descem pelo esôfago e deságuam no estômago. Literalmente. Até aqui poucas delas já se infiltraram no sangue. Só vão ser absorvidas mesmo no próximo estágio dessa jornada, o intestino delgado.

É por meio da mucosa que reveste esse órgão que o líquido penetra para seguir o fluxo da correnteza. A partir daí, as moléculas de H²O pegam carona no sangue que, por sinal, tem 83% do líquido em sua composição e podem chegar a cada célula. A água se difunde pelo corpo e não há fronteiras que barrem esse percurso, conta o nefrologista Paulo Ayroza, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

"As células vivem num meio composto basicamente por água e sais", acrescenta Gehrard Malnic, professor de fisiologia e biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo. Mas dois terços da água do nosso organismo estão dentro delas. Só o restante fica no chamado compartimento extracelular, ou seja, no plasma sanguíneo e no líquido intersticial. "O interstício é o arcabouço de sustentação das células, que é preenchido por uma substância aquosa", define o biólogo Odair Aguiar Júnior, da Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista.

Suponhamos que um grupo de moléculas de água navegue rumo às células da pele, que, segundo o dermatologista Paulo Roberto, do Rio de Janeiro, "é composta por 70% do líquido". Para chegar lá ele entra nos capilares, vasos extremamente finos que o conduzem até o tal espaço intersticial. Dentro de instantes, graças a um processo químico denominado osmose, cada célula da derme receberá o gole necessário às suas funções. Como isso acontece? É a passagem da água de um meio com menor concentração de sais para outro mais concentrado. Livres, as moléculas transpõem a membrana e entram no citoplasma, uma espécie de recheio celular. "As reações que acontecem nas organelas, estruturas dentro das células, dependem da presença do líquido", afirma Aguiar.




 




0 comentários: