Problemas cardíacos no esporte. Futebol.








Mais uma vez o esporte fica de alerta para os problemas cardíacos que podem assolar alguns esportistas. Esse mês o jogador Abdelhak Nouri (20 anos) do Ajax sofreu uma parada cardíaca durante uma partida amistosa contra o Werder Bremen, internado no hospital desde o dia 08 de Julho, familiares e o clube afirmaram que infelizmente segundo exames o atleta sofreu danos cerebrais permanentes.

A notícia comoveu aos fãs e torcedores do time Holandês que na última semana se mobilizaram junto a casa da família do jogador com gritos de “Appie, Appie” (apelido do jogador), “Nouri, Nouri” ou “Appie we love you”, fogos de artifícios e muitos aplausos.

Mais essa não é a primeira vez que um fato como esse acontece em um gramado:
O ex-goleiro da seleção brasileira Doni, sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto jogava no Liverpool, o jogador chegou a ficar com o coração parado por 25 segundos, após este incidente, foi aconselhado a deixar o futebol, o que veio a acontecer em agosto de 2013.

O jogador Renato Abreu descobriu em 2012 enquanto jogava pelo Flamengo uma arritmia cardíaca, o jogador precisou realizar uma cirurgia no coração e um mês após já tinha voltado aos treinamentos.
O atacante Adílson (atual jogador da portuguesa) já correu o risco de ter as chuteiras penduradas devido à uma inflamação do miocárdio.

Uma das histórias mais conhecidas foi a morte do zagueiro Serginho (30 anos), do São Caetano, durante uma partida com o São Paulo no estádio do Morumbi em 2004, o jogador sofreu uma parada cardiorrespiratória durante o jogo, foi atendido no local mais infelizmente faleceu cerca de uma hora depois no Hospital São Luiz.
No ano passado o lateral-direito Canavarros faleceu aos 21 anos enquanto treinava pelo XV de Piracicaba, o atleta foi encaminhado à Santa Casa para receber os primeiros socorros após parada cardíaca no entanto veio a falecer alguns dias após o ocorrido.

Buscando prevenir para que cada vez mais fatalidades como essas não ocorram entidades de saúde e até mesmo os clubes estão cada vez mais alertas.




0 comentários: